FREDERICO ROCHAFERREIRA
www.sitefilosofico.com
Membro da Oxford Philosophical Society







O juíz ao conceder liberdade a um condenado antes que ele cumpra a totalidade da pena, deve por seu ato, ser considerado cúmplice dos atos de seu liberto.








   LEI & JUSTIÇA



Por Frederico Rochaferreira



q

uando o cidadão compreender, que quem liberta o condenado antes de cumprir a totalidade da pena é o juiz e não a justiça, compreenderá também que quem concede tal liberdade, é cúmplice dessa liberdade e da conduta do liberto. Quando o cidadão compreender que isto é uma verdade, saberá diferenciar a lei da justiça, porque quando a lei não é justa, não é lei, é um instrumento à ilicitude, mas se justo for o servidor da lei, ele a torna justa e a torna lei. Outrossim; quando a justiça age pelo clamor da imprensa, por clamor ideológico ou por seu próprio clamor, advogam nestes casos as paixões vingativas e corporativas, e o que se realiza então não são ações de justiça, mas de servidores da justiça e neste caso, não podemos considerar nobres os resultados,  mas frágil e vergonhoso em seu fim.













Thomas
Jefferson

"A liberdade é uma ação legítima de acordo com a nossa vontade, dentro dos limites   desenhados em torno de nós, por igualdade dos  direitos dos outros. Eu não acrescento "dentro dos limites da lei", porque a lei é muitas vezes, mais a vontade do tirano e assim viola os direitos do indivíduo ."