Todos concordam que ética é fazer a coisa certa. Mas o que é a coisa certa?






A Ética dos Miseráveis

Reflexões e exame crítico sobre os vícios de caráter e a estupidez humana

Do Princípio Familiar


Trechos

Quanto ao avanço das punições na disseminação das más condutas, essas são ações que não passam despercebidas, contudo não devemos ter ilusões que o esforço da justiça em punir bastará em si mesmo. Não, esse esforço não será suficiente para cessar tais e tantos desvios, porque o braço da justiça por sua natureza atua nos efeitos, não na causa e é esta que deve ser identificada e combatida com vistas a diminuir seus efeitos nocivos na sociedade. A ação da justiça atingirá sempre a ponta de um iceberg, que não raro continuará a proporcionar tragédias materiais e morais ao longo da sua existência.

O pensamento crítico a esta questão é refletir a relação de nós com nossos pais quanto a educação e orientações recebidas, o carinho dispensado, a presença física, a relação de amizade, os valores humanísticos transmitidos, a liberdade de escolhas permitidas e o exemplo de conduta, valores que jorram da fonte familiar para se fixar em nós desde a primeira idade e que se somam aos valores naturais fixados em nossa natureza também por nossos pais. Esses são fatores fundamentais na formação do caráter e é impregnado desses valores ou isento deles, que nos transportamos para a externalidade do mundo e seremos na prática o resultado lar.

Então, quando vemos uma sociedade à beira do colapso moral, onde as ações em todos os setores e camadas sociais se equivalem pelo desvio ético, podemos dizer que a punição não surtirá o efeito desejado, porque o sujeito da ação é vítima do conjunto de valores que possui e que determina a sua personalidade, portanto, sempre voltará às violações.

Assim, a tendência em transgredir ou a prevalência de valores virtuosos no ser, em grande medida está em conformidade com a célula que o gerou, que é a mesma geradora da sociedade, a família e cabe à ela, a responsabilidade do bom ou do mau desenvolvimento do corpo de caráter de seus filhos, a boa ou má formação da sua personalidade, seja por valores transmitidos, seja por natureza e as ações que lhes serão próprias ao longo da vida, nunca a família poderá delas se esquivar porque delas é cúmplice.